quinta-feira, 4 de novembro de 2010

A mentalista


Manuella Becker, muito mais que uma simples adolescente, sua realidade tem se tornado numa multidão de perguntas sem respostas, ela tenta hesitar, não querendo descobrir a verdade, mas isso não será possível, pois ela esta cada vez, mas próxima de descobrir que após aquele terrível acidente, sua vida nunca mais será mesma! Forças maiores as levaram para um mundo onde ser normal não é permitido.

    Naquele momento, a única parte do meu corpo que se movia eram os meus olhos, não conseguia ver claramente, tudo estava embasado, e o desespero começou a invadir cada canto da minha minúscula consciência naquele momento, mas não consegui gritar e muito menos levantar dali e sair correndo, a chuva forte e o asfalto duro pareciam querer me castigar, será que por algum motivo especifico ou apenas por fatalidade?
 Por um instante, fleches do que se passará a alguns minutos persistiam em atormentar meus pensamentos, me deixando com a sensação de impotente cada vez maior. Mesmo com aquela visão completamente ilegível, pude perceber que havia pessoas em minha volta, dois deles examinavam meu corpo. Por que eu não sentia nada, nem mesmo o toque de suas mãos em mim?Será que? Não quero nem imaginar, a dor seria muito maior.
 -Peguem a maca imediatamente, ela deve ir para o hospital agora ou morrera aqui mesmo. -Gritou alguém.
 Meus sentidos estavam voltando aos poucos, eu podia ouvir isso me aliviou porem ouvir que poderia morrer me deixou apavorada, não queria ir sem meus pais, sem o Thomaz, onde eles estariam, ou que haveria acontecido com eles? Queria gritar seus nomes, procurar por eles, dizer que estou viva, e olhar pra eles e ver que também estão. Mais estava exausta e senti minhas forças acabarem resultando em um profundo sono.
 Meus olhos se abriam lentamente, e a imagem de Thomaz na minha frente me fez perceber o quanto era importante ele esta no meu lado.
-Não se esforce muito meu amor, estou aqui e tudo irá ficar bem. Sua voz me fazia acreditar até no impossível, com ele ao meu lado tudo realmente estava bem. Mas agora eu sentia meu corpo, preferia não sentir, pois a dor era terrivelmente forte e perturbadora..
  Thomaz estava com o braço engessado e com um curativo na testa, mas seu sorriso deslumbrante e enigmático estava perfeitamente intacto.
Com muita dificuldade, sentindo minha garganta pegar fogo, perguntei.
-Onde estou?O que aconteceu?Cadê meus pais? Eram muitas as minhas perguntas.
  Seu olhar desviou-se do meu e seu sorriso desapareceu, não ouvi a resposta e não pude evitar em pensar no pior, não suportaria ter perdido meus pais, por que comigo?
-Conversei com os médicos, e hoje mesmo poderemos ir para casa, não sei como, mas você esta em perfeito estado nem um arranhão fora encontrado. Um milagre.
  Ele disfarçou e mudou de assunto, minha mente não doía e pensava ate melhor que antes.
- como assim não tive nenhum arranhão? Sinto-me como se um trator tivesse passado em cima de mim...
-Mas os exames mostram que não tem nada. Está ótima. Até melhor que antes. Afirmou Thomaz sentando em uma poltrona antiga, que ficava de frente pra cama. Onde eu me encontrava deitada e bagunçada por sinal. O que me fez levar a mão ao meu cabelo tentado arrumá-lo um pouco.
-Thomaz  me diz pelo amor de Deus. -Onde estão meus pais?-Preciso saber.
-Manuella,eles não resistiram,a batida foi muito forte e....
-O que?Não pode ser. Meu Deus.  Por quê? Por quê?-Meu desespero me consumia. Levantei gritando e perguntando por que viemos pra esse maldito lugar, por que Deus permitiu?
-Calma meu amor, estou aqui. Do seu lado. Vamos superar isso. Você é forte. -Thomaz tentava me acalmar, e me guiava a te aquela minúscula cama. Não hesitei. A dor era maior que qualquer força que eu tentasse fazer.
-Maldita hora que viemos pra esse lugar. As lagrimas já não podiam ser contidas. Thomaz?
-Estou aqui, fala. -Sua voz era tão sincera e amável.
-Não me deixa. -Agora eu só tenho você.
-Presta atenção. Nunca vou te deixar. Te amo e não é pouco,juntos vamos superar isso.Sei que é terrível,mas vou te ajudar.-Dessa vez ele me olhava fixamente,como se eu fosse um alvo e ele a flecha.
-Não vou conseguir. -Preferia ter morrido no lugar deles. -Não é verdade, eles estão vivos sim. Diz que estão vivos, por favor.
-Não diga isso. Como eu ficaria sem você? Eles estão no céu agora, esperando o ultimo dia em que o mundo acabará. Vou te ajudar a superar, sempre vou está aqui. -Ele colou levemente seus lábios nos meus. Como algo ligado na tomada ele me transmitiu só pelo toque todas as suas emoções, eu sabia o que ele estava sentindo, e não por que ele me contou, mais por que podia sentir sua emoção só pelo seu toque. Eu só podia esta surtando.
 Como assim eu sabia o que ele estava sentindo?Devo te batido a cabeça muito forte. Ou fiquei doida de vez. Então resolvi tentar mais uma vez e devolvi o beijo porem dessa vez mais profundamente, tentando obter todas as emoções possíveis, e como se ele estivesse falando comigo eu sentia tudo que ele sentia. Por um momento pude senti-lo dentro de mim, eu ouvia tão nítido o que se passava na mente dele, como se ele estivesse gritando pra mim seus sentimentos, seus medos e anseios.
Sai daquele beijo muito assustada. Com os olhos arregalados eu o fitava. Como se a mente dele se abrisse pra mim através de um toque, como se ele me entregasse à chave de onde estavam guardados todos seus segredos.
-O que houve?Está se sentindo bem amor? Thomaz pergunta não entendendo o porquê eu continuava imóvel o encarando, com se ele ainda estivesse me beijando.
-Manuella fala comigo!- Ele apertava meu braço me sacudindo, e mais uma vez eu voltei pra dentro dele. Agora ele sentia medo, ao mesmo tempo em que estava assustado, sei que ele nunca me revelaria isso, sei que também não era certo invadi-lo daquele jeito. Mais como não fazê-lo?Como evitar eu estava entrando em estado de choque.
Quando ele soltou meu braço eu voltei daquele transe, mais suas emoções ainda martelavam na minha mente, eu podia senti-las gritando.
-Estou bem. Só estranha. Não me toque, por favor. -Falei sem pensar, apenas agindo por impulso.
-Como assim?Está doendo em algum lugar? Quer que eu chame o doutor?
-Não, claro que não. Vamos pra casa. Ele já me deu alta, e também não agüento mais ficar deitada nessa cama. Já que não tenho nada, estou até melhor que antes, não tem por que continuar aqui. Só vou tomar um banho antes e trocar essa roupa.
-tudo bem vai lá eu espero.
Caminhei em direção ao banheiro, porem minha mente ainda se mantinha atordoada com os pensamentos de Thomaz.
O que havia acontecido comigo, eu precisava entender. Tentei então explicar pra mim mesmo o que estava acontecendo enquanto a água gelada caia sobre meu corpo.
 Até ontem eu ainda era normal, podia tocar qualquer um que não descobriria seus pensamentos e muito menos segredos. Porem hoje acordo e me deparo com tal situação, por mais que eu não queira aceitar que não sou a mesma. Os fatos me mostram que alguma coisa mudou, estou assustada confesso..
Já dentro do taxi, sentindo o vento bater em meu rosto fingindo que tudo o que se passará a alguns estantes fora apenas um sonho. Uma alucinação devido ao acidente. Thomaz estava ao meu lado porem não me tocava parecia cansado e por isso dormia profundamente e por um momento pensei em tocá-lo só para saber no que ele pensava. Mas não o fiz.
 Iria enterrar meus pais, a dor me atormentava constantemente. O medo de chegar em casa e ter que assumir uma responsabilidade que eu não tinha me assombrava um pouco. O que eu faria agora?Tenho apenas dezessete anos e agora tenho poderes, um dom, sei lá.
Não da pra acreditar. É muito surreal pra mim. Como conviveria com isso?Tocar as pessoas e sentir suas emoções dentro de mim, sentir seus segredos sendo sussurrados em minha mente. Acredito que nada é por o caso existe um destino traçado pra cada um. E o meu estou preste a descobri e mesmo que eu tenha que desvendar mistérios dentro de cada mente eu o farei. Sei que tenho uma missão e espero ansiosa por  desvendá-la. 

Se quizerem continuaçao eu posto...hehehehe beijooos 

5 comentários:

Lilianne disse...

Jesuus, eu to simplismente paralisada aqui , cunhadaa eu quero leer o ressssssto *.* aaain gostei mesmo, mt interessante, sabe seus posteres são encantadores, nossa eu amo ler seu blog , simplismente é perfeito, parabéns, que DEUS lhe abençoe cada vez mais, e que aumente sempre esse dom dentro de vc (:
beijo minha linnda

Minduio ' disse...

Amoooooor, eu amo as coisas que escreve!Tá muito perfeito. EU QUERO MAAAAIS! =))

Lana Ferreira disse...

Continuua meniiiina!

Te divulgo no meu twitter todo dia agora!
Nossa victoria, eu amo esse blog.


Beijos e continua akspoakspoa

Lua disse...

Incrível! Viajei na história aqui junto com as suas palavras. Posta, sim, a continuação, quero saber o que vai acontecer. Esse poder dela é invejável!
Bjs!

Sarah Lisboa disse...

Quuuuase chorei aqui :/ como vai ser sem os pais dela agora, tadinha ela tem 17 anos :S.. continua amoooor pelo amor de Deys,e perfeito esse blog²! EEEU QUERO MAIS, EU QUERO MAIS
beijos gata ;*